Projeto Candelária modas e costumes (1998 -2012)

Há 19 anos atrás na Mangueira a ONG Meninas e Mulheres do Morro já acreditava no resgate da memória cultural ancestral como forma de elevação da autoestima de crianças, adolescentes e jovens negros moradores da do morro da Mangueira.
O projeto Candelária Modas e Costumes resgatou a memória da favela, colocando a oralidade africana, a arquitetura local, a poesia e os antigos moradores como protagonistas na cena cultural da comunidade e fora dela. Mais o que o Instituto Hoju tem a ver com este projeto?
O sonho de potencializar a juventude das favelas através do resgate da memória cultural ancestral nasceu ali, bem nos pés do Morro de Mangueira mais precisamente na Candelária. Uma adolescente que “brincava” de coordenar o projeto, pois ainda não tinha
a noção da responsabilidade e do impacto dessa história, começava a nortear a montagem do nascimento do HOJU, (foram 12 anos de espera para a formalização). As altas taxas cartorárias para o registro e a necessidade de uma prestação de serviço especializada, impedia o registro, apesar de ser um impeditivo para a formalização, nunca paralisou as ações contínuas do instituto.

Rolar para cima